Operação-SC-VI Uma promoção do:
Operação-SC-VI Uma promoção do:
Sinta-se livre para entrar em contato:
Notícia 26.08.2015

Inscrições têm início em 21 de setembro

s0206113

Foto: FAPESC


Ocorreu em Florianópolis nesta quarta-feira, 26/08, o lançamento da Operação-SC-V do Sinapse da Inovação. A FAPESC – Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina, promotora do Sinapse, disponibiliza R$ 6 milhões no total – até R$ 60 mil em recursos para cada uma das 100 empresas selecionadas. O valor representa R$ 10 mil a mais do que o oferecido nas últimas operações, quando cada projeto recebia R$ 50 mil em recursos. Os selecionados ainda recebem apoio dos outros parceiros do programa.

Pela primeira vez em sua história, o Sinapse vai oferecer bolsas de apoio aos empreendedores. Cada projeto poderá recorrer a uma cota de bolsa por 12 meses. Participantes com nível de graduação receberão valor mensal de R$ 2,5, e com mestrado, de R$ 3,5 mil. O bolsista não pode ser o coordenador do projeto, possuir vínculo empregatício ou acumular outras bolsas durante o período.

A execução do Sinapse é conduzida pela Fundação CERTI. As inscrições abrem em 21 de setembro e vão até 5 de novembro através do site http://sc.sinapsedainovacao.com.br/.

 

 

Como funciona

Na primeira fase os interessados apresentam suas ideias de negócio e a equipe de trabalho. O objetivo é verificar se a ideia é inovadora, se traz benefícios para a região e se tem potencial de mercado. Passam para a segunda fase cerca de 20% das propostas, e os selecionados devem, então, elaborar um projeto de empreendimento, detalhando o plano de negócio executivo com o objetivo de demonstrar o potencial da ideia para gerar um bom negócio. Ao longo dessa etapa são oferecidas capacitações à distância para auxiliar o empreendedor.

A terceira fase, consiste no desenvolvimento de um projeto de fomento, com apresentação detalhada do orçamento e do planejamento de execução do projeto. Os finalistas são contemplados com subvenção em dinheiro e capacitação na pré-incubação.

 

História

O Sinapse da Inovação foi concebido pela Fundação CERTI e apoiado pela FAPESC em 2007 com o objetivo de aumentar o investimento em inovação tecnológica no Estado a partir da transformação de ideias inovadoras em negócios de sucesso. De março de 2008 a fevereiro de 2009 foi realizada a operação piloto do programa, que atingiu apenas a Grande Florianópolis e que ajudou a criar 13 empresas inovadoras.

Ainda em 2009 foi realizada a Operação I, com abrangência estadual. 61 empreendimentos foram criados e apoiados. Entre 2010 e 2011, na Operação II, 48 novas empresas inovadoras foram criadas. Na operação III, desenvolvida de setembro de 2011 a abril de 2013, chegou-se ao número de 88 empresas apoiadas. A última operação, realizada de junho de 2013 a novembro de 2014, selecionou 93 projetos, que se tornaram novas empresas inovadoras em Santa Catarina.

Alguns dos projetos impulsionados pelo Sinapse nos últimos anos acabaram se tornando grandes empresas a nível regional e nacional. É o caso da Welle Laser, especializada na manufatura de máquinas e equipamentos para marcação e gravação a laser e micro usinagem, e da Chaordic, líder nacional no mercado de recomendações personalizadas para comércio eletrônico.

“O Sinapse se encaixa muito bem no ecossistema inovador de Santa Catarina pois acaba preenchendo um vácuo que existia. Ao dar uma chance para aquelas pessoas que tinham apenas uma ideia, mas não sabiam por onde começar, criou-se uma verdadeira cultura do empreendedorismo no Estado”, analisa Leandro Carioni, diretor executivo da Fundação CERTI e coordenador do programa.

O Sinapse também contribui para o estabelecimento da ponte entre academia e indústria em Santa Catarina. Muitas das ideias vêm de pessoas ainda na universidade, tanto de cursos de graduação como de pós-graduação.

No início deste ano o modelo foi exportado para o estado do Amazonas, onde a primeira edição ainda está em andamento. Na primeira fase do Sinapse AM, foram inscritas quase 1,2 mil ideias. 

Notícia 19.08.2015

Imagine uma escada com altura entre 85cm até 1,40m que pode se transformar em uma plataforma para levar cadeirantes ou pessoas com mobilidade reduzida ao patamar superior. Chamado de escada-elevador, esse projeto criado pela Pró-Acesso Tecnologia Assistiva, de Joinville, recebeu apoio do programa Sinapse da Inovação em sua quarta operação, em 2014.

O protótipo está em fase final de construção e será montado no auditório da Unisociesc (Sociedade Educacional de Santa Catarina), na unidade Marquês de Olinda, que possui um desnível de 1,10m entre o palco e a plateia.

O idealizador do projeto, Mário Cezar da Silveira, se inspirou em sua filha, que é cadeirante, para criar a escada-elevador. “Carolina, hoje com 28 anos, enfrenta muitas dificuldades, não por suas limitações físicas, mas sim pelas barreiras impostas pela dificuldade no uso dos espaços, principalmente calçadas ruins, edificações e espaços de uso público sem acessibilidade”, conta Mário, que se especializou em Desenho Universal e Acessibilidade.

Sua filha participava do Grupo Segue de Dança Inclusiva, e, quando fazia apresentações com o grupo, esbarrava na falta de acessibilidade dos locais dos espetáculos. “Dançar na cadeira de rodas nunca foi problema. O problema era subir nos palcos para se apresentar, pois o acesso aos mesmos tinha como única opção degraus. Comecei então a buscar alternativas para criar condições de acessibilidade para esses locais”, recorda Mário.

O novo produto é uma escada cujos degraus se alinham de modo horizontal e se transformam em piso para uma plataforma elevatória, quando acionado para uso de cadeirantes ou de pessoas com mobilidade reduzida. A intenção era criar um equipamento híbrido, que pudesse ser utilizado por todos, a fim de ocupar pouco espaço e evitar que ele permanecesse sem uso, já que muitas dessas instalações são utilizadas com pouca freqüência. O número de degraus é definido pela altura a ser vencida, mas no uso como elevador tem a configuração interna mínima de 1,10m x 1,40m, determinada pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) para plataformas elevatórias, e ainda será adaptado para espaços com grande fluxo de pessoas.

Após a instalação do protótipo na Unisociesc, serão feitos testes e eventuais adequações. A escada-elevador deve ser comercializada a partir de outubro deste ano e já tem quatro estabelecimentos interessados em implantá-la. “Como o equipamento não tem similares no mercado, está sendo aguardado com bastante expectativa, pois vem atender uma necessidade crescente, impulsionada pelas novas leis vigentes no país, principalmente o Decreto 5296/2004 e a recente Lei 13.146/2015, que obriga todos os espaços públicos e os de uso público, a serem ou se tornarem acessíveis”, diz o criador do projeto.

Além de tornar realidade a ideia de Mário da Silveira, o Sinapse permitiu a criação da empresa Pró-Acesso, que já tem outros dois produtos em criação, uma cadeira de rodas motorizada adaptável às especificidades do usuário, e uma bicicleta adaptável em cadeira de rodas, para possibilitar lazer e passeios ciclísticos a cadeirantes. “Tentávamos viabilizar o projeto e a construção de um protótipo da escada-elevador, mas sempre tivemos muitas barreiras, que iam desde a falta de capital e da dificuldade em conseguir apoio técnico e de assessoria, para resolver os limites da nossa capacidade técnica. O Sinapse, com a verba disponibilizada e com seus parceiros, CERTI e SEBRAE, forneceu todo o suporte que ansiosamente aguardávamos”, afirma.

 
escada elevador 1escada elevador 2escada elevador 3

Notícia 17.08.2015

Nos dias 18, 19 e 20 de agosto o NEO Empresarial, em parceria com a Fundação CERTI, realiza um evento sobre empreendedorismo no Auditório da Engenharia de Produção da UFSC, João Ernesto Escoteguy Castro.

No primeiro dia, quatro sinápticos irão compartilhar suas experiências empreendedoras e cases de sucesso:

– Gélio Júnior – Simples Dental

– Leonardo Minozzo – Cafundó Estúd0o Criativo

– Fabrício Herzt – Hórus Aeronaves

– Celso Ferrari – LETT

No dia 19, Marcos Mueller, da CVentures, comanda uma roda de discussão sobre os desafios de empreender, com a participação de André Krummenauer (Involves), Anderson Nielson (Chaordic) e André Siqueira (Resultados Digitais).

Por fim, no dia 20, Elton Miranda, da Contentools, e Theo Orosco, da Exact Sales, compartilham suas histórias empreendedoras.

O evento acontece acontece a partir das 18h30 e tem entrada gratuita.

Para mais informações acesse o site: http://neo.ufsc.br/palestra/neo4u/

NEO 4 U

 

Notícia 14.08.2015

100openVoltado para empreendedores de destaque oriundos de programas e de competições de startups, o Movimento 100 Open Startups visa conectar desde empreendedores que ainda estão definindo suas ideias inovadoras, até aqueles que já possuem produtos ou serviços inovadores lançados no mercado, mas que ainda estão em busca de recursos e parcerias para viabilizar o rápido crescimento.

Para participar, o empreendedor deve inscrever sua startup em qualquer um dos Desafios abertos listados pelo Movimento (cada desafio é independente e possui proponentes, avaliadores e bancas específicos), ou ser indicado por algum dos Programas Interconectados, organizados por parceiros nacionais e internacionais do Movimento.

As 100 open startups que forem identificadas a partir dos programas de empreendedorismo interconectados terão a oportunidade de participar como destaque da 8a Open Innovation Week e poderão também integrar as dinâmicas específicas voltadas à interação de startups entre si, com grandes empresas, com investidores e com mídia. Além disso, as startups concorrerem a prêmios como bootcamps no exterior, oportunidades de financiamento e investimento oferecido pelos parceiros.

Mesmo as startups que não chegarem até a etapa final podem se beneficiar do programa através dos feedbacks e avaliações de seus projetos.

Saiba mais em http://www.openstartups.org.br/blog/.